Besouro Mangangá

Cada vez mais pratica entre os negros, a Capoeira era motivo de grande preocupação da elite do século passado, principalmente depois libertação dos escravos, em 1888. Sem emprego, alguns Capoeiras, em bancos ou sozinhos, assaltavam para sobreviver e para se vingar dos anos de sofrimento nas senzalas. Algumas histórias ficaram famosas, como a do Besouro Mangangá. Segundo contam, ele foi trabalhar para um fazendeiro que explorava seus empregados.Os ex-escravos trabalhavam e, na hora de receber, o fazendeiro colocava o pagamento na ponta da espingarda e os mandava pegar. O único corajoso foi o besouro de Mangangá que, além de pegar seu pagamento, deu uma surra violenta no homem. Mestre Pastinha conta ter visto um Capoeirista afugentando uma patrulha inteira. Diz mais:

“…um lugar escuro, uma mulher, chega um cara querendo coisa – um homem querendo mulher está sempre desprevenido – então, de repente, ele recebe um golpe, só um e cai ferido, desacordado ou morto. Sim senhor havia Capoeirista malandro que se vestia de mulher para roubar os dão-Joãos” (Revista Realidade).

Assim, com a crescente ocorrência de fatos como esses, a prática da Capoeira, mesmo antes de sua criminalizacão em 1890, já era motivo para prisões.

2016-05-15T17:49:04+00:00