Variações Musicais na Capoeira

15 de Maio de 2016 Berim Brasil

Autora: Adriana Fernandes
A prática da capoeira está intimamente ligada à música, por ser esta uma arte completa que envolve o desenvolvimento físico e as aptidões artísticas de seus praticantes. A capoeira desenvolve-se ao som de uma “orquestra” muito particular e peculiar por
natureza. Esta orquestra é composta de um atabaque, dois pandeiros e de um a três berimbaus e, são estes instrumentos que acompanham as “cantorias da roda”.

Dentre os vários tipos de “cântigos” de uma roda de capoeira, destacamos:

– A Chula: É uma cantiga curta, normalmente feita de improviso que faz apresentação ou identificação. É entoada pelo cantador para fazer a abertura de sua composição. Normalmente faz uma louvação aos seus mestres às suas origens ou à cidade em que nasceu ou está no momento, pode ainda fazer culto à fatos históricos, lendas ou algum outro no momento, pode ainda fazer culto a fatos históricos, lendas ou algum outro elemento cultural que diga respeito à roda de capoeira. É comum aos cantadores da roda usare m a chula como introdução para as corridos e ladainhas e, durante a mesma é sugerido um refrão para o coro cantar.

– O Corrido: Como o próprio nome já sugere, é uma cantiga que “acelera” o ritmo e que se caracteriza pela junção do verso do cantador com as frases do refrão repetido pelo coro total ou parcialmente, dependendo do tempo que o cantador dá entre os versos que canta. O cantador faz versos curtos e simples que são à toda hora repetidos e o conjunto deles é usado como refrão pelo côro. O texto cantado pode ser retirado de uma quadra, de uma ladainha ou de uma chula ou ainda de cenas da vida cotidiana, de um p assado histórico ou simplesmente da imaginação do cantador. Geralmente, o ocorrido é cantado nos toques de São Bento Grande, Cavalaria, Amazonas, São Bento Pequeno, sempre em toques mais acelerados.

– A Quadra: É o que o nome diz, uma quadra. A quadra é uma estrofe curta de apenas quatro versos simples, cujo conteúdo pode variar de acordo com a criatividade do compositor que pode fazer brincadeiras com sotaque ou comportamento de algum companheiro d e jogo, pode fazer advertências, falar de lendas, fatos históricos ou figuras importantes da capoeira. Normalmente as quadras terminam com uma chamada ao côro que pode ser: camaradinha, camará, volta do mundo, aruandê, Iêê…Êêê…dentre muitas.

-A Ladainha: É um ritmo lento, sofrido, dolente, é como uma reza, uma oração muito parecida com as que são feitas na Igreja Católica em louvor ao terço. O conteúdo de uma ladainha corresponde a uma oração longa e desdobrada pelo cantador em versos entrem eados pelo refrão repetido pelo côro. As ladainhas , exclusivas do jogo de Angola, são cantadas antes do início do jogo. Os participantes da roda devem ficar atentos ao cantador, pois na ladainha pode ser feito um desafio e, quando for dada a senha para o início do jogo qualquer um pode ser chamado neste desafio.

Exemplos:

CHULA “Vida de solteiro é dura de casado é muito mais o marido vai na festa ai meu bem… a mulher quer ir atrás se ele diz que não leva vira onça e diz que vai é por tudo isso que não caso prá viver a vida em paz Camaradinha… Iê, Aquinderê!… Mestre Cícero

CORRIDO “Chora menino nhem, nhem… o menino chorou nhem, nhem… cala a boca menino nhem nhem… mas porquê não mamou? nhem, nhem, nhem… Peça do Folclore

LADAINHA “Quando eu aqui cheguei quando eu aqui cheguei vim louvar a Deus primeiro e os moradores deste lugar agora eu tô cantando agora eu tô cantando cantando dando louvor tô louvando a Jesus Cristo porque nos abençoou Tô louvando e tô rogando tô louvando e tô rogando ao pai que nos criou abençoe esta cidade com todos os seus moradores e na roda de capoeira abençoe os jogadores.” Mestre João Pequeno

QUADRA “A canoa virou, marinheiro ô, no fundo do mar tem dinheiro A canoa virou, marinheiro ô, no fundo do mar tem dinheiro” Autor não conhecido

Normalmente, depois que a roda acaba, é feito um “samba de roda” para acalmar os ânimos mais exaltados durante o jogo. O samba de roda tem letra um pouco mais longa do que o corrido e a quadra, mas se compara bem de perto ao conteúdo de uma chula ou ladainha:

Exemplo: SAMBA DE RODA “Pisa na linha levanta o boi Levanta meu boi do chão Pisa na linha levanta o boi levanta, levanta Amanhã é dia santo dia do Corpo de Deus quem tem roupa vai na missa quem não tem faz como eu pisa na linha levanta o boi …. Peça do Folclore

Para cada situação um canto diferente: Nas rodas de capoeira, são cantadas as proezas dos jogadores e, também, as suas quedas e suas desavenças. É por aí que são estimulados os movimentos que o jogo exige; é também, uma maneira de passar adiante os ditos populares, dando asas à imaginação das pessoas; ainda, é uma forma de quem está tocando e cantando, fazer uma “brincadeira” com os jogadores.

Por exemplo:

– Quando o jogo está desanimado, canta-se: BIMBA MANDOU LUTAR… (côro) LUTAR – Quando o jogador leva “a pior” e sai reclamando, canta-se: O MENINO CHOROU, NHEM, NHEM, NHEM… – Quando o jogo virar para o lado da violência, canta-se: CAMARADA QUE É MEU CAMARADA, (côro) É MEU IRMÃO… – Quando o jogador cai e se machuca, canta-se: CAPOEIRA ESCORREGA E LOGO TÁ DE PÉ QUEM FICA NO CHÃO CAPOEIRA NÃO É NA VIDA SE CAI OU SE LEVA RASTEIRA QUEM NUNCA CAIU, NÃO É CAPOEIRA – Quando entra mulher na roda, canta-se: Ô MULHER, LEVANTA A SAIA E VEM JOGAR… SE ESSA MULHER FOSSE MINHA, EU ENSINAVA A VIVER EU LEVAVA PRÁ RODA, E ENSINAVA A ARMADA E MACULELÊ… – Prá terminar a roda em paz, canta-se: ADEUS, ADEUS, VAMOS SAIR EU JÁ VOU-ME EMBORA, BOA VIAGEM…
Autora: Adriana Fernandes

,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *